Os Dez Princípios de um Bom Design, por Dieter Rams.

Um bom é inovador
As possibilidades de inovação não são, de forma alguma, exaustivas. O desenvolvimento tecnológico está sempre oferecendo novas oportunidades para um design inovador. Um design inovador sempre desenvolve em conjunto com a tecnologia inovadora, e nunca pode ser um fim em si mesmo.

Um bom design torna um produto útil
Um produto é comprado para ser usado e precisa atender a determinados critérios, não só funcionais, contudo, psicológicos e estéticos. O bom design enfatiza a utilidade de um produto, ignorando aspectos que pudessem afastar-se dele.

Um bom design é estético
A qualidade estética de um produto é fundamental para a sua utilidade, pois estes são usados ​​diariamente e produzem efeitos sobre pessoas e seu bem-estar. Somente objetos bem feitos podem ser bonitos.

O bom design faz um produto compreensível
Esclarece a estrutura do produto, fazendo-o expressar claramente a sua função, incitando a intuição do usuário. Na melhor das hipóteses, é auto-explicativo.

O bom design é discreto
Produtos cumprindo um propósito são como ferramentas. Não são objetos decorativos nem mesmo obras de arte. Seu design deve ser neutro e contido o bastante para deixar espaço para a auto-expressão do usuário.

Um bom design é honesto
Não torna um produto mais inovador, poderoso ou valioso. Não tenta manipular o consumidor com promessas que não possam ser cumpridas.

O bom design é duradouro
Evita estar na moda embora nunca pareça antiquado. É contrário de design de moda, que dura muitos anos – mesmo na sociedade descartável dos dias de hoje.

Um bom design é completo até o último detalhe
Nada deve ser arbitrário ou deixado ao acaso. Cuidado e precisão em seu processo demonstram respeito ao consumidor.

Um bom design é ambientalmente amigável
Seu projeto faz uma importante contribuição para a preservação do meio ambiente. Ele conserva recursos e minimiza a poluição física e visual durante todo o ciclo de vida de um produto.

Um bom design é tão pouco design quanto possível
Menos, porém, melhor inserido. Concentra-se em aspectos essenciais, não sobrecarregando o produto com o que é desnecessário. De volta a pureza, de volta a simplicidade.

0 respostas

Deixe uma resposta

Que tal deixar um comentário?
:)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *